TOPO_TOPICO_DECLARACAO_DE_FE_UMDV

Declaração de fé

1. Cremos em um só Deus:
Há um único Deus, criador dos céus, terra, mar e de todas as coisas que neles existam. Infinito, digno de toda glória e todo louvor, imutável, absoluto, soberano, sábio, justo, santo, amoroso, onipresente, onisciente, onipotente, subsistente desde toda e para toda eternidade em três Pessoas: Pai, Filho e o Espírito Santo.
Ref.: Dt 4:6, 1 Rs 8:27, Sl 139:7-11, Is 45:11, Ne 9:6, Mt 28:19, Jo 4:24, Jo 42:2, At 4:24, Rm 11:23, Rm 11:28, 2 Co 13:13, Ef 1:11, Hb 4:13, Tg 1:17, 1 Jo 4:8.

2. Cremos que Jesus Cristo é o Unigênito de Deus:
Jesus Cristo é o Filho de Deus, igual em poder e honra na santíssima Trindade, criador do Universo e sustentador de todas as coisas. O Messias prometido, plenamente Deus e totalmente homem, Ele é antes de todas as coisas, testificado por Moisés e os profetas, imaculado, gerado pelo Espírito de Deus na virgem Maria, nascido sob a Lei. Ele é a Vida e quem dá a vida, Ele batiza com o Espírito Santo para a salvação e com fogo eterno para condenação, único Salvador de todo o que crê, no madeiro sofreu a ira divina pelos pecados dos seus eleitos, provou a morte e a venceu, ressuscitou ao terceiro dia e ascendeu aos céus onde está a destra do Pai, em breve voltará com grande glória para estabelecer o seu Reino Eterno.
Ref.: Mq 5:2, Mt 1:18-23, Mt 3:11-12, Mt 16:16, Mt 26:28, Mt 28:16, Lc 24:27, Jo 1:3, Jo 1:14, Jo 3:16, Jo 8:58, At 1:9, At 26:22, Rm 4:25, Rm 9:5, 1 Co 15:3-4, Gl 3:13, Gl 4:4, Cl 1:16-17, Cl 2:9, 1 Tm 2:5, Hb 1:3, Hb 9:27, Hb 10:12, 1 Jo 3:5, 1 Jo 5:20, Ap 11:15.

3. Cremos que o Espírito Santo é o Consolador:
O Espírito Santo é Deus, igual em poder e honra na santíssima Trindade, o Consolador prometido, que convence os homens de seus pecados, da justiça e do juízo, oferecido gratuitamente ao crente em sua conversão capacitando-o a viver em novidade de vida. Sela perpetuamente o crente, santificando os cristãos e os separando para o bom propósito de Deus, concede dons aos homens e capacita a Igreja de Cristo.
Ref.: Jl 2:28, Mt 28:19, Jo 3:3-6, Jo 15:26, Jo 16:8-11, Rm 8:9, 1 Co 6:19, 1 Co 12:4-7, 1 Co 12:13, Ef 1:13-14, Hb 6:4-6.

4. Cremos na inerrância das Escrituras Sagradas:
As Escrituras Sagradas, isto é, a Bíblia Sagrada, é a Palavra de Deus, inspirada por Ele em seus escritos originais, inerrante e infalível. Por ela conhecemos o Deus revelado na criação e o seu propósito. A Escritura é a única e suficiente regra de fé e pratica ao cristão, é ela que dita as regras de nossos cultos, devocionais e modo de viver. Foi dada a nós por meio de homens santos que falaram da parte de Deus movidos por seu Espírito.
Ref.: Dt 29:29, Sl 119:9, Sl 119:11, Jo 17:17, Jo 10:35, Rm 1:16, Rm 15:4, 1 Co 1:21, 2 Tm 3:15-17, Hb 4:21, Tg 1:8, 1 Pe 1:23, 2 Pe 1:21.

5. Cremos na união entre o homem e a mulher:
O homem e a mulher foram criados à imagem e semelhança de Deus. Primeiro criou o homem, para a sua glória, através de Adão tomou a sua mulher Eva, tal formação não foi resultado de uma queixa do homem solitário e nem de um pedido feito pelo homem, mas foi planejado pelo próprio Criador, fazendo de um, dois, e mais adiante Ele os uniu fazendo de dois, um, constituindo o matrimônio. A constituição plena do Homem por Deus, não acabou em Adão, nem na criação de Eva, mas na união entre Adão e Eva. No Éden, Deus fez de uma só pessoa ser duas, mas no matrimônio Ele faz das duas, homem e mulher, se tornarem em uma, assim como o Pai e o Filho são em um. O cristão que casar deve assim fazer para a glória de Deus, não se sujeitando ao jugo desigual, sendo fiel até a morte. Cabe ao homem amar sua esposa como Cristo amou a Igreja e a mulher ser submissa ao seu marido como a Igreja é de Cristo.
Ref.: Gn 1:27, Gn 2:18-22, Gn 5:1-2, Lv 20:13, Mt 5:32, Mt 19:9, Lc 16:18, Rm 7:2-3, 1 Co 6:9-10, 1 Co 7:39, 1 Co 10:31 2 Co 6:14-15, Ef 5:22-25,  Hb 13:4.

6. Cremos que o pecador e o pecado são abomináveis a Deus:
O pecado entrou no mundo por um só homem, o fundamento do Universo que treme em obediência a Deus foi quebrado por Adão e todos os homens se tornaram malditos nele. O pecado é a transgressão da Lei ordenada por Deus, e se configura pela rebelião contra o Criador que é Santo. Não pode existir pecado sem que haja um pecador, a ira do Senhor está sobre todos que elaboram o mal, tal maldade está enraizada na natureza do homem desde seu nascimento, ninguém precisa ensinar a um bebe como pecar, ele nasce com tal instinto. O homem está depravado em todo seu ser. O pecado faz do homem culpado diante o santo Deus e a sentença justa para tal rebeldia é a condenação.
Ref.: Gn 2:17, Gn 6:5-6, Gn 8:21, Jó 4:17, Jó 14:4, Sl 5:4-5, Sl 51:5, Sl 58:3, Ec 9:3, Jr 13:23, Jr 17:9, Dn 4:35, Mc 7:21-23, Rm 3:10-18, Rm 5:12, Rm 6:23, Rm 7:8, Rm 8:7-8, 1 Co 15:56, 2 Co 3:5, Ef 2:1-3, 1 Jo 3:4.

7. Cremos no Plano da Salvação:
A queda de Adão não foi um acontecimento que ocorreu na distração do Senhor ou que o pegou desprevenido. Deus criou Satanás, o Éden, o Homem, a Árvore do conhecimento do bem e do mal, assim como a Árvore da Vida. O propósito da Salvação em Cristo Jesus abrange a desobediência do homem no princípio para que o Filho, em tudo, tivesse a preeminência. Adão desobedeceu para que Cristo obedecesse, Adão trouxe a morte para que Cristo manifestasse a Vida, o pecado abundou para que a graça superabundasse. Deus, em favor de muitos, isto é, amou o mundo dando o seu único Filho para remissão de pecados, recebendo este, em seu corpo e espírito, a ira que era devida. A Salvação não depende de nenhum esforço humano, ela é uma obra de Deus – do começo ao fim – um presente gratuito e imerecido da parte do Senhor aos homens que foram predestinados para salvação. Nisto somos assegurados no propósito de Deus em seu Filho: nada pode nos separar do seu amor.
Ref.: Gn 2:8-9, Gn 3:1, Is 53:10-12, Jr 10:23, Mt 26:28, Mc 15:34, Jo 3:16, Jo 15:16, Rm 3:24-27, Rm 5:20, Rm 8:38-39, Rm 9:15-16, Ef 2:8, Cl 1:17-20, Hb 1:2-3, Hb 4:13.

8. Cremos na Igreja pela qual Cristo morreu:
Cremos e confessamos uma só igreja universal que é uma santa congregação e assembléia dos verdadeiros crentes em Cristo que esperam e confiam toda a sua salvação em Jesus Cristo e ninguém mais nem em obra alguma que possa ou faça, e que foram lavados pelo seu sangue e Santificados e selados pelo Espírito Santo e vivem uma vida de mortificação dos pecados e santificação diária (frutos de serem nascidos de novo e eleitos) fugindo do mal e buscando ser perfeito e semelhante ao Deus que adoram e ao seu Senhor, para que em tudo Ele seja glorificado em tudo que fizeram operando o sacerdócio universal, esta igreja existe desde a fundação do mundo e existirá até o fim pois Cristo é um Rei Eterno, que não pode ficar sem súditos ou escravos, e esta igreja é mantida por Deus contra o furor do mundo inteiro, mesmo que diminua ou quase desapareça, ela não está situada em local físico ou ligada a certas pessoas, mas está espalhada e dispersa por todo o globo porém integrada e unida de coração, vontade e no mesmo Espírito pelo poder da fé. A responsabilidade do governo da igreja de Cristo foi confiada ao homem, cabendo a mulher ser submissa em toda boa obra e culto que for realizado para a glória de Deus.
Ref.: Gn 22;18, 2 Sm 7:16, 1 Rs 19:18, Sl 46:5, Sl 89:36, Sl 110:4, Sl 111:1, Sl 119:63, Is 1:9, Is 49:6, Mt 23:8, Mt 28:18-20, Lc 1:32, Jo 4:21-23, Jo 10:14-16, At 2:21, At 4:32, Rm 10.12-13, Rm 11:4, 1 Co 14:33-35, Ef 1:13, Ef 2.17-19, Ef 4:4, Ef 4:30, Ef 43-6, 1 Tm 2:11, Hb 12.:22-23; 1 Pe 3:20, Ap 11:7

9. Cremos na existência de Satanás e de seus demônios:
Cremos na existência real de Satanás, seus demônios e em seu presente controle sobre o homem não regenerado, ao qual leva este a pecar e continuar na cegueira de seus pecados não vendo nem buscando a Cristo Jesus nem a salvação, mas seguindo seu curso para a destruição que sobrevirá sobre ele, e que ele tenta os cristãos convertidos a pecarem contra o seu soberano Senhor Jesus visto que estes ainda tem a raiz do pecado em seus corpos regenerados da velha natureza.
Ref.: 1 Cr 21:1, Jó 1:7, Jó 2:2, Mt 4:11, Mt 12:26,  Lc 10:18, Lc 11:18, 2 Co 11:14, Ef 2.2, Ef 4:27, I Pe 5.8,  Ap 20:2.

10. Cremos no Batismo de João e na Ceia do Senhor:
O batismo de João e a Ceia do Senhor são duas observâncias que Cristo ordenou a sua Igreja até que Ele venha. O Batismo na água é para o arrependimento, deve ser realizado em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo e não é propriamente um meio para salvação, apenas o sangue do Cordeiro purifica de todo pecado, todos aqueles que creem no evangelho de Cristo devem passar pela água como um sinal de sua renúncia ao mundo e submissão ao senhorio de Jesus Cristo. A Ceia do Senhor é um memorial no qual recordamos a morte de nosso Senhor na cruz, deve ser distribuída em dois elementos: o pão, simbolizando o corpo de Cristo, e o cálice, que representa o seu sangue derramado para remissão de pecados. Todos aqueles que professam sua fé no Filho de Deus, convictos de suas esperanças e com devida reverência e temor, devem fazer parte do pão e do cálice de Cristo Jesus.
Ref.: Mt 3:11, Mt 28:19-20, Lc 22:19-20, Jo 3:5, 1 Co 1:13-17, 1 Co 11:23-28, Ef 1:7, 1 Jo 1:7, 1 Jo 2:2

11. Cremos no Juízo Final:
I. Deus já determinou um dia em que, segundo a justiça, há de julgar o mundo por Jesus Cristo, a quem foram pelo Pai entregues o poder e o juízo. Nesse dia não somente serão julgados os anjos apóstatas, mas também todas as pessoas que tiverem vivido sobre a terra comparecerão ante o tribunal de Cristo, a fim de darem conta dos seus pensamentos, palavras e obras, e receberem o galardão segundo o que tiverem feito, bom ou mau, estando no corpo.
Ref.: Ec 12:14, Mt 12:36-37, Jo 5:22-27, At 17:31, Rm 2:16, 2 Co 5:10, 2 Co 14:10-12, 2 Pd 2:4, Jd 6.

II. O fim que Deus tem em vista, determinando esse dia, é manifestar a sua glória – a glória da sua misericórdia na salvação dos eleitos e a glória da sua justiça na condenação dos réprobos, que são injustos e desobedientes. Os justos irão então para a vida eterna e receberão aquela plenitude de gozo e alegria procedente da presença do Senhor; mas os ímpios, que não conhecem a Deus nem obedecem ao Evangelho de Jesus Cristo, serão lançados nos eternos tormentos e punidos com a destruição eterna proveniente da presença do Senhor e da glória do seu poder.
Ref.: Mt 25:31-34, At 3:19, Rm 2:5-6, Rm 9:23, 2 Ts 1:7-8.

III. Assim como Cristo, para afastar os homens do pecado e para maior consolação dos justos nas suas adversidades, quer que estejamos firmemente convencidos de que haverá um dia de juízo, assim também quer que esse dia não seja conhecido dos homens, a fim de que eles se despojem de toda confiança carnal, sejam sempre vigilantes, não sabendo a que hora virá o Senhor, e estejam prontos para dizer – “Vem logo, Senhor Jesus”. Amém.
Ref.: Mt 24:36, Mt 42-44, Mc 13:35-37, Lc  12:35-36, Lc 21:27-28, 2 Co 5:11, 2 Ts 1:5-7, 2 Pd 3:11-14, Ap 22:20.

Reformai

Deixe o seu comentário

*



Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>